segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Supernova

Um minuto para o fim do mundo: "... perco o chão sob meus pés, me falta o ar pra respirar, e, só de pensar em te perder por um minuto, eu sei que isso é o fim do mundo ..."
Nossa! Observando essas palavras (de uma música da banda nacional CPM 22) até parece o fim do mundo mesmo: o chão deixou de existir e o ar na atmosfera, mesmo nas planícies mais baixas, está rarefeito. Diante de uma situação desta, cabe somente a você pisar mais forte a ponto de reencontrar aquele chão preexistente, aquela base sob a qual o seu ser se constituiu, em outras palavras, reencontre a si mesmo.
O ar está acabando? Seria a falta de um elemento "essencial" para sua sobrevivência. Francamente, todo ser vivo se desenvolve, ou tende a evoluir, e assim deve ser, quando "faltar o seu ar". Adapte-se, aceite os fatos e siga adiante: encontre outro elemento essencial à sua sobrevivência.
Se observarmos direitinho os dizeres bíblicos, perceberemos que o mundo nunca acaba realmente, ele apenas se renova, sendo que, para isso, tudo o que existiu deve ser deixado para trás. Um novo mundo pode ser criado, ou encontrado, um lugar onde o ar não lhe seja mais útil, onde você poderá viver apenas de luz (própria).

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Sublime

Derruba-me sobre teu leito,
Arrebata-me sob teu olhar,
Diante de ti permaneço de joelhos
O coração padece ao ver teu singelo jeito

Extasiado eu me sinto
Com a mente perdida no horizonte
Deste teu jeito juvenil,
Meio inconsequente, meio senil

Essa tua sensação de que levitas em meus braços
Produz em meu ego novos sentimentos
Perdidos num subjetivismo profundo
Sobre o qual caminham, sem receio, descalços

Em meio aos teus beijos
Sinto-me desvendando novos horizontes
Navegando um mar de devaneios
Onde desejo naufragar

Os teus cabelos negros são como parte do vento
A tua pele branca e suave como a areia
São como a aurora que invade minha mente
E a semente da sedução semeia

Oh, sensata rebeldia
Tu que me fazes sentir distinto dentre os outros seres
Compartilho contigo a sensação dos meus prazeres
Agradeço e ofereço a ti a felicidade dos meus dias

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Satisfação ou Felicidade

O que o torna satisfeito nem sempre é algo que o faz sentir-se feliz. A satisfação está associada ao mero costume, a felicidade, por sua vez, está intrisecamente relacionada ao novo, a uma nova sensação, a um novo sentimento.
Poucas pessoas são felizes em relacionamentos duradouros, e, ainda assim, acredito que estas que afirmam ser assim, na verdade, estão confundindo-a com a satisfação, a mera satisfação de ter uma vida comum, simples, estável - no sentido de que nada é novo - mas, o fato de terem uma vida melhor que de outras pessoas, o fazem sentirem-se satisfeitos.
A emoção de dirigir o seu carro a 160km/h, assim como a dúvida existente no começo de uma paquera ou namoro, isso traz a sensação de felicidade. Felicidade é impulso, instinto, é algo emocional, ao passo que a satisfação é completamente racionalista.
Uma vida estável, um bom padrão patrimonial ... será que tudo isso vale a pena? Vale a pena a pessoa restringir seus impulsos naturalmente humanos por uma segurança materialista? Vale a pena abdicar daquilo que fundamenta a sua essência humana por uma satisfação material efêmera? A satisfação está para a certeza, assim como a dúvida está para a felicidade!
Ah ... o amor, esse nãp deveria ser único, mas deveriam, sim, haver amores: inusitadas formas de amar pessoas diferentes, essa situação incerta traz a real felicidade.
Ora ... dizem que "o que é bom dura pouco", discordo: acredito que o que é bom (satisfação) dura muito, ou para sempre, e somente o que é realmente ótimo, inacreditável (felicidade), é que dura pouco. Por exemplo, o seu primeiro beijo, ou a sensação de estar descobrindo uma nova pessoa em sua vida, isso é a felicidade, e, depois que esse período passa, resta o simples convívio ou as lembranças, e estes são a mera satisfação.
A satisfação é um eufemismo para o costume, é algo que alguém um dia inventou para que você pare, nao siga adiante, não busque o melhor para si, para a sociedade, ou para o mundo.
A satisfação é uma sensação provinda da falta da essência do espírito jovial. Você precisa de alguém ou algo que o faça sentir-se definitivamente vivo, mesmo que nao seja um elemento constante em sua vida, mas a busca por esse algo motivador deve estar sempre presente, e a dúvida da possibilidade de encontrá-lo adicionada ao encontro efetivado deste alguém/algo é que o trará a sensação do espírito jovem: adrenalina, loucura, inconsenquência, amor, felicidade!
Aconselho a todos que, quando depararem-se com uma situação de satisfação, repensem os seus critérios de qualidade de vida, de satisfação pessoal e profissional, verão que simplesmente estão acostumados às suas rotinas: o mesmo corpo e beijo daquela pessoa, os mesmos programas semanais, os mesmos comportamentos.
Mude, aja, tome a iniciativa. Todos preocupam-se demais com o futuro ...
"Mas não precisamos saber pra onde vamos
Nós só precisamos ir
Não queremos ter o que não temos
Nós só queremos viver"