sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Feridas de Guerra

Escudo perfurado
Lança partida
Guerreiro ajoelhado
Sentindo a Dor da ferida

Arrebatado
Com o olhar no horizonte
Ofuscado
Com a luz que vem dos montes

Coração esfacelado
Honra destruída
São estes os resultados
De uma batalha vivida

O guerreiro fica extasiado
Pois a luz vem da realeza
Sente-se decepcionado
Por te-la enfretado com destreza

Como pode existir tamanha sutileza
Conduzindo um exército de lamentos
Que infligem incisivamente a Alteza
Acentuando seus tormentos


De joelhoes a esta estende os braços
Com um olhar um ar de esperança
Que possam se reatados os laços
Que a Alteza restabeleça a Aliança

Mas há de nascer a Aurora
Trazendo a luz do dia
Concedendo-lhe a Felicidade de outrora
Conduzindo-o ao Reino da Alegria

2 comentários:

  1. Isso éééééeééé ESPARRRRRRRRRRRRTAAAAAAAAAAAA!!!!!!!! Meu amigo, vc é um poeta grego, vc é mais do que um Homero, vc é mais que um Leônidas (com todas akelas ninfas gostosas), vc é meu garoto, porra. Está definido: "Vc passará o dia descansando, comendo do bom e do melhor, para que possa demonstrar esssa eloquência nas sustentações orais noos Tribunais Pátrios" E olhe, Toffoli que se cuido, porque vc será o mais novo Ministro do STF. Parabens. WFM

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito cara... você é um poeta e tanto.. continue assim, e dps tenta algo com a mesma temática do guerreiro na batalha, só de uma forma mais sombria... posta ae pra gente! abraçao J.P.!

    ResponderExcluir