quinta-feira, 28 de abril de 2011

Primeira do Plural

Amamos da vida cada segundo
Perdemos noção da hora
Imaginamos um outro mundo
Estamos lá Agora

Curtimos estar lado a lado
Apreciamos um olhar de relance
Queremos um beijo extasiado
Corpos envolvidos num Nuance

Não vamos nos impor limitações
Vamos quebrar os paradigmas
Rasgar a hipocrisia das nossas razões
Viver dos prazeres seus enigmas

Amamos os instantes
Em que perdemos os sentidos
Não apenas os que ficam na estante
Mas os diariamente vividos

Queremos ser taxados de loucos
Por aqueles que não conhecem da vida a  essência
Legado nobre de tão poucos
Que carregam consigo tão valiosa vivência

Respiramos os velhos ares da juventude
Que botam nossos instintos pra fora
Que não justificam nossa inquietude
No prazer de viver que nos aflora

Desejamos os deleites da carne, da consciência e da alma
Não pensamos nas consequências futuras
Vivemos o presente que temos em nossas palmas
Condenamos a sociedade e suas usuras

Não queremos nos tornar adultos
Não queremos ser vítimas do capital
Mas, apenas viver cada minuto
De forma descomunal

Queremos dar um grito!
Ser uma pintura de aquarela
Sem seguir nenhum rito
Bebemos a alegria das cores verde e amarela

Amamos ser quem somos
Não somos o aqueles querem que sejamos
Somos aqueles que pensamos
O que aqueles não querem que sejamos

Um comentário:

  1. "Queremos ser taxados de loucos
    Por aqueles que não conhecem da vida a essência
    Legado nobre de tão poucos
    Que carregam consigo tão valiosa vivência"

    gostei bastante desta parte, bem como desta:

    "Somos aqueles que pensamos
    O que aqueles não querem que sejamos"

    :)

    ResponderExcluir