quarta-feira, 4 de maio de 2011

Cadente

Numa madrugada fria
O menino sobe ao telhado
Para ver o que além da Lua havia
E depara-se com um céu pouco estrelado

Vê uma estrela cadente rapidamente passar
Singela beleza numa breve passagem
Cortante deixando sua marca no ar
O menino guardou aquela imagem


Ela tinha um brilho tão diferente
Marcante aos olhos nus
Não queria ver o sol nascente
Pois a estrela não veria no céu azul

Já não podia mais possuí-la 
Tão somente desejá-la
Esperando que ela voltasse
Um poema recitava


Ele queria ter a estrela para si
Mas ela já passou e se dissipou
Apontando para o céu pensando: "foi ali!"
O último lugar onde a avistou