terça-feira, 24 de julho de 2012

Copa do Mundo 2014

Bem, gente, todo mundo (até os menos instruídos) já sabe, ou ouviu falar, que as obras dos estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014, a ser realizada no Brasil, estão atrasadas, propositalmente, visto que, em caráter de urgência, as licitações e contratações serão realizadas de uma maneira menos formal (ou até quem sabe sem formalidade alguma, inobservando completamente as legislações pertinentes, ou pior, criando-se leis que legalizem essas possíveis falcatruas).
Há uns quatro anos, passei a ter um certo desgosto pelo futebol, começando a desacreditar na competência (ou seria, dignidade?) da administração do clube para o qual torço, e, ao passar dos anos, essa desilusão tomou proporções maiores, observando os esquemas de resultados "comprados" de partidas do campeonato brasileiro, a excedentariedade  do marketing que fazem jogadores nada carismáticos serem ídolos, a supervalorização milionária de "profissionais" chutadores de bola e, principalmente, a alienação da massa, que resume seu cotidiano a trabalhar (enriquecendo seus empregadores) e assistir um jogo no fim de semana, sem se preocupar com o seu próprio desenvolvimento como ser humano e cidadão.
Isso tudo não é culpa somente dos políticos corruptos e egoístas que mantêm esse ciclo vicioso do "pão e circo", mas também do povo brasileiro, que não procura crescer intelectualmente. Pensando bem, a culpa é toda da população mesmo, pois aqueles salafrários não estão ocupando os cargos de dirigentes do Estado por intervenção divina, mas única e exclusivamente por escolha dos eleitores, que os colocam lá, reclamam, mas não vão às ruas protestar, pois a final da Libertadores (que os prende), por exemplo, é mais importante.
Enquanto milhões de brasileiros estiverem gritando gol, políticos estarão embolsando milhões.



Nenhum comentário:

Postar um comentário