sábado, 2 de março de 2013

Yes. We can!


Se você acreditar um pouco mais em si e em Deus, as coisas podem melhorar. Se você realmente tiver fé, as coisas melhorarão. Você, entretanto, não pode confundir fé com alienação (o que é pregado pela igreja evangélica). Uma coisa é você acreditar que as coisas na vida, os fluidos do universo, ou até mesmo Deus, conspirarão a seu favor, e outra é você ficar coçando o ovo em casa, esperando que alguém bata na sua porta e resolva todos os seus problemas.
Sabe, eu respeito a posição dos ateus, porém penso: "o que você perde por acreditar em Deus?". Nada!
Você pode também pensar que Deus é o meio, não o fim. Nele, você arranja o conforto para seguir em frente. Ser apenas humano é complicado e difícil. Veja que os ateus geralmente são uns escrotos divididos em duas classes: ricos ou autossuficientes. E o que estes tem em comum? Ambos acreditam em si mesmos. Os primeiros acreditam por que sabem que o dinheiro compra quase tudo; os acreditam naturalmente em suas capacidades.
A crença não é uma linha reta que parte do ser para Deus (ou qualquer outro ser ou energia superior em que a pessoa acredite), mas uma espiral (como na hermenêutica). A crença, Deus, é o fim que serve de meio. 
Em suma, acredite no seu trabalho e no seu estudo, e você terá resultados. Eu sei, nós somos imediatistas, queremos resultado agora, mas nem tudo é assim tão fácil.
Eu, por exemplo, nunca estive tão confiante em mim mesmo, nestes meus estudos para concurso. E quem introjetou essa confiança em mim? Eu mesmo! E todo penso que vou fazer uma ótima prova, e vou passar no cargo que tanto almejo!
Você pode ser o que quiser, basta dar um ponta-pé inicial, arriscar! Ora, lembra daquilo que eu falava que era difícil largar meu emprego para advogar devido às minhas despesas fixas?, que era um risco muito grande? Eu pensei nisso um dia desses novamente e cheguei à seguinte conclusão: Os meus estudos são um risco! É a maneira de arriscar que tenho disponível! E, antes que você pense, não, o meu emprego não é uma zona de conforto para mim. Eu não estaria tranquilo caso nada viesse a dar certo, pois eu estaria num emprego medíocre, que não seria capaz suficientemente para atender ao padrão de vida que quero para mim e para minha família futura.
Então, eu, assim como você e como qualquer outra pessoa nesse mundo (exceto os ricos de berço ... e olhe lá, pois estes, se não se esforçarem para entender e administrar o patrimônio da família, podem vir a pô-los às ruínas), desde o dia que saímos de dentro das nossas mães, estamos expostos aos riscos. Entramos no colégio, e não sabíamos se iríamos conseguir passar nas provas de química ou física (ou quaisquer outras matérias que não conseguíamos entender), mas nos formamos. Depois, veio a faculdade, e, mais uma vez, estávamos expostos aos riscos, às dúvidas, ao receio de termos apostado toda a carreira no colégio em um curso de graduação, e ninguém nos garantiu que sairíamos vitoriosos depois de 5 anos (tantos desistem no meio do caminho).
Tudo isso, todos os desafios, foram frutos de decisões e riscos decorrentes destas. O segredo para o sucesso sempre esteve na paciência (mesmo nos momentos mais desesperadores) e confiança de que tudo daria certo no fim.
Peça a Deus a força que você precisa para o dia-a-dia, e ao seu anjo da guarda para que te proteja e ilumine o caminho que você decidir seguir (advocacia, concurso ou qualquer outro). Mas, Eles não vão por o livro nas tuas mãos nem passar as páginas à medida que você for lendo. Em outras palavras, uma vez iniciada a caminhada, a gente chega ao nosso destino, ainda que pelo caminho mais difícil, mas quem caminha é você (e Deus apenas vai te 'motivando', dizendo por meio de seu próprio ego: "falta pouco, eu vou conseguir").

Nenhum comentário:

Postar um comentário